ARMARINHO

Introdução

FICHA TÉCNICA
Setor da Economia: Terciário
Ramo de Atividade: Comércio
Tipo de Negócio: Armarinho

APRESENTAÇÃO. Na vida diária as pessoas necessitam resolver pequenos problemas do cotidiano e nem sempre tem por perto o fornecimento de produtos para isso, essa necessidade é coberta pelos armarinhos.
Além de fornecer os produtos característicos desse estabelecimento, o armarinho é uma espécie de loja “quebra galho” do bairro. É assim que, normalmente, o empreendedor passa a ter um relacionamento muito próximo com os clientes, tendo por base o atendimento personalizado, variedade de produtos úteis, bons preços e confiança mútua.

MERCADO. Datas festivas e as estações mais características como verão e inverno colaboram com a venda das mercadorias, mas os hábitos e costumes dos consumidores da região onde a loja será instalada é que vão determinar o rumo da empresa. No entanto, é bom lembrar que os armarinhos estão enfrentando a pesada concorrência de supermercados e papelarias, desta forma, vale tudo para se diferenciar.

LOCALIZAÇÃO. É fundamental que o armarinho tenha uma boa localização, de preferência perto de profissionais da área de costura, tricô e crochê, como também próximo a uma área residencial ou de indústrias de confecções.
Além dos dados citados acima, é importante também que o local tenha uma boa infraestrutura (água, luz e telefone) como também, seja uma região densamente povoada.

ESTRUTURA. Pode ser uma pequena loja de 40m², mas áreas maiores facilitam a organização e permitem planos de expansão.
A área pode ser dividida em dois ambientes, a entrada - onde é interessante que sejam colocadas vitrines nas laterais, e o interior - onde deve ficar os balcões, na frente das prateleiras. Tanto nos balcões como nas prateleiras os artigos devem ficar expostos para serem muito bem vistos pelos clientes.

EQUIPAMENTOS. Os equipamentos básicos são: balcões, vitrines, prateleiras, gôndolas, além é claro dos equipamentos de apoio (telefone, calculadora, caixa registradora, computador, móveis e utensílios de escritório)

INVESTIMENTOS. Irá variar de acordo com a estrutura do empreendimento , podendo este girar em torno de R$ 30 Mil.

MÃO-DE-OBRA. O armarinho é um empreendimento que sofre as conseqüências das sazonalidades, seja por causa da variação climática seja pelas festas anuais como carnaval, dia das mães, dos pais e das crianças e natal. Assim, por se tratar de um negócio que exige um atendimento personalizado para os clientes, pode haver um acréscimo de até 100% do número de funcionários nos períodos de pico de vendas.

FORNECEDOR. As mercadorias para o armarinho tanto podem ser adquiridas de atacadistas como dos fabricantes. O empresário deve iniciar comprando pequenas quantidades dos atacadistas para ir selecionando as mercadorias que têm maior giro, evitando, assim, grandes prejuízos por compras erradas.

ESTOQUE. Ter atenção no estoque é fundamental, por tratar-se de comércio de mercadorias com enorme variedade.
O armarinho requer preocupação na formação de um estoque que atenda ao gosto do consumidor e cuidado especial na gerência da reposição das mercadorias vendidas.
Administrar muito bem os estoques e trabalhar com uma estrutura enxuta aumentam as chances de sobrevivência desse negócio, que trabalha com produtos de baixo valor unitário e com margens de lucro estreitas.

LINHA DE PRODUTOS. É muito importante que o empresário saiba definir com precisão a linha de armarinho que pretende construir e para isto conhecer bem seus clientes.
A linha de mercadorias a ser adquirida deve ser bem planejada e irá variar de acordo com as características do estabelecimento e especialmente com os hábitos de consumo da clientela, mas em geral é composto por linhas, lãs, agulhas, alfinetes, tesouras, meias, fivelas, travas, cintos, fitas, brinquedos, etc.
É interessante oferecer cursos de tricô, crochê e bordados e produtos sazonais, como enfeites natalinos, além de recorrer a promoções e à distribuição de “receitas”, utilizando os artigos comercializados.

OPORTUNIDADES. As mercadorias de um armarinho encontram consumidores em todas as regiões do país. Existem oportunidades em quase todas as cidades ou bairros. É importante notar que a probabilidade de sucesso aumenta se a loja for instalada em uma região densamente povoada ou com grande número de profissionais da área de costura, tricô e crochê.
Como já foi abordado, é importante que o empresário se informe muito bem dos costumes da região onde pretende instalar o seu negócio, pois o estoque deve ser planejado de forma que atenda aos gostos dos consumidores locais.

Legislação Específica

Torna-se necessário tomar algumas providências, para a abertura do empreendimento, tais como:
- Registro na Junta Comercial;
- Registro na Secretária da Fazenda;
- Registro na Prefeitura do Município;
- Registro no INSS;
- Registro no Sindicato Patronal;
O novo empresário deve procurar a prefeitura da cidade onde pretende montar seu armarinho para obter informações quanto às instalações físicas da empresa (com relação a localização),e também o Alvará de Funcionamento.
Além disso, deve consultar o PROCON para adequar seus produtos às especificações do Código de Defesa do Consumidor (LEI Nº 8.078 DE 11.09.1990).

BIBLIOGRAFIA
- Pesquisas Tips - Sebrae - Pequenas Empresas, Grandes Negócios - IPT - Tudo (Folha de S.Paulo) - Negócios (O Estado de S. Paulo) - Empreendedor - Exame SP - Exame - Tudo - Estado de Minas - Marketeer - Google - Wikipédia - Ministério do Trabalho e Desenvolvimento
Esse arquivo foi gentilmente enviado por usuários do Emprega Brasil. Caso tenha arquivos que contribuam com a empregabilidade ou rentabilidade, nos envie através do e-mail: arquivos@empregabrasil.org.br

Emprega Brasil | © 2013 Todos direitos reservados. Brasil