LOJA DE SEX SHOP

Introdução

FICHA TÉCNICA
. Investimento em equipamentos e instalações: exige telefone, veículo utilitário, ponto comercial de 30 m2, escritório para 1 pessoa
. Investimento inicial: R$ 3 mil a R$ 4,2 mil
. Capital de giro: R$ 3 mil
. Faturamento médio mensal: R$ 5 mil
. Nº mínimo de pessoas trabalhando: 2 (o dono e 1 vendedor)
. Risco: médio

Elas não ficam mais à espera da iniciativa dos parceiros para espantar o tédio na vida sexual. Quando a temperatura esfria no relacionamento, as mulheres tratam de ir às compras. Hoje, o público feminino que freqüenta as lojas de sex shop, passou de 10% para cerca de 50% do total em dois anos. A mudança coincide com a abertura de lojas mais freqüentáveis, com um visual menos agressivo.

MERCADO. De acordo com Evaldo Shiroma, criador e organizador da feira Erótika Fair, o setor erótico no Brasil movimenta cerca de 350 milhões de dólares por ano – um mercado quase virgem em comparação com 10 bilhões nos Estados Unidos. Para Shiroma, esse mercado ainda tem muito espaço para crescer.

PARA COMEÇAR. O empresário deverá ter conhecimento do setor e noções básicas de gestão de estoques, já que uma loja pode ter até 8.000 itens. Outro fator importante é com relação a localização. Como esse tipo de comércio ainda é visto com preconceito por muita gente, o empreendedor deve fazer uma cuidadosa análise do local onde o negócio será instalado, a fim de evitar atritos com a vizinhança, aconselha Daniel Ribeiro, dono da Darme Sex Shop.

COMPORTAMENTO. Os vendedores devem ser muito bem treinados para mostrar o uso e as características dos produtos sem chocar os clientes e vencer a inibição dos freqüentadores de primeira viagem. Discrição e facilidade para lidar com pessoas também são importantes.

PRODUTOS. O estoque inicial, com cerca de 400 itens, pode ser composto por miudezas como chaveiros, preservativos, lingeries e fitas de vídeo. O segredo é ter sempre novidades, como as cabines individuais em que o cliente usa para assistir a filmes eróticos por oito minutos. Outros produtos como coleiras – com tachas de metal, que jamais poderiam ser aproveitadas pelo cãozinho da família – são itens obrigatórios nas sex-shops. Quando o comprador é mulher, a preferência recai sobre outros itens. O primeiro são calcinhas comestíveis, feitas de um material gelatinoso nos sabores cereja, chocolate e morango. O segundo da loja são as lingeries decotadas e transparentes, nas cores preta e vermelha, explosivamente sensuais.

COMERCIALIZAÇÃO. Confecção de catálogos bem impressos e sites na Internet são importantes canais de vendas, respondendo por 10% do movimento.

FORNECEDORES. Cerca de 80% dos artigos comercializados são importados, podendo ser comprados em importadoras especializadas. Existem fornecedores específicos para o segmento e até mesmo franquia de lojas desse gênero.

INVESTIMENTO. Reserve capital para adquirir uma linha telefônica e um computador, necessários para entrega em domicílio e venda pela Internet.
O investimento abrange as instalações (balcões, displays, etc.), despesas de abertura da empresa e reserva de segurança, sem considerar despesas com aluguel e ponto comercial.

NOTÍCIAS. COMÉRCIO DE PRODUTOS ERÓTICOS MOVIMENTA R$ 847,3 MILHÕES
O mercado erótico brasileiro movimenta hoje U$ 350 milhões, o equivalente a R$ 847,3 milhões por ano, segundo informação do criador e organizador da feira Erótika Fair, Evaldo Shiroma. Segundo ele, os sex shops respondem por 20% dessa receita. São 600 sex shops e lojas virtuais de produtos eróticos no País, cerca de 30% a 40% só no Estado de São Paulo.
“Esse mercado vem crescendo 20% ao ano. O brasileiro está descobrindo o erotismo, que é diferente da pornografia”, diz o organizador da feira.
O desempenho do setor é um reflexo do crescente interesse que o tema tem despertado entre os brasileiros. Hoje em dia, sexo é discutido abertamente em horário nobre nos canais abertos de televisão e os sites na Internet estão aí para quem quiser acessá-los.
Na Ana Keeler Sex Shop, em São Paulo, o número de itens comercializados no ano passado não passava de 70 por mês. Atualmente, conta a proprietária Ana Lúcia Ribeiro, as vendas do sex shop chegam a até 200 itens por mês.
Para Evaldo Shiroma, o perfil do consumidor está mudando. Segundo ele, na feira do ano passado, 55% do público era de casais, e cerca de 30% eram homens. Havia também famílias e pessoas da terceira idade, que, entretanto, ainda são minoria. “A geração dos 70 anos tem menos preconceito que a de 40 a 50 anos”, diz.
A Erótika Fair é tradicionalmente voltada para lojistas, mas agora contará também com uma área de varejo. Será realizada de 4 a 9 de julho, no Espaço das Américas (antigo Galpão Fábrica), em São Paulo. Está na sétima edição, esperando receber 50 mil visitantes, entre eles 400 a 500 lojistas, e faturar R$ 3 milhões.
Ano passado a Erótika Fair recebeu 45 mil pessoas e movimentou R$ 2 milhões. “A expectativa para este ano é maior porque é inverno. A edição da feira que mais arrecadou até hoje aconteceu nessa época”, conta o organizador, ressaltando que este ano o evento contará com duas edições - a segunda em dezembro , “a pedidos do público.” Shiroma lançou, há um mês, uma loja virtual de produtos eróticos que, segundo ele, vende bem e até agora já conta com 12 mil clientes cadastrados.
Fonte: Diário do Comercio e Indústria, 07/05/2002
Legislação Específica

Torna-se necessário tomar algumas providências, para a abertura do empreendimento, tais como:
- Registro na Junta Comercial;
- Registro na Secretária da Receita Federal;
- Registro na Secretária da Fazenda;
- Registro na Prefeitura do Município;
- Registro no INSS;(Somente quando não tem o CNPJ – Pessoa autônoma – Receita Federal)
- Registro no Sindicato Patronal;

O novo empresário deve procurar a prefeitura da cidade onde pretende montar seu empreendimento para obter informações quanto às instalações físicas da empresa (com relação a localização),e também o Alvará de Funcionamento.
Além disso, deve consultar o PROCON para adequar seus produtos às especificações do Código de Defesa do Consumidor (LEI Nº 8.078 DE 11.09.1990).
Eventos

.
EROTIKA FAIR
Informações: (0xx11) 3673-1312
Promoção: JL Feiras Promoções e Eventos
FORNECEDORES

. SENSUALITY LTDA.
Av. Ibirapuera, 1865, Moema, CEP 04029-100, São Paulo (SP)
Tel.: (011) 5572-8345

. J. R. LOVELAND LTDA.
Rua Luís Mazarolo, 224, Vila Mariana, São Paulo (SP)
CEP 04024-040
Tel.: (011) 5581-4716, Fax: (011) 5581-9791

. LAS VEGAS
Av. 23 de maio, 3015, Ibirapuera, São Paulo (SP),
Tel.: (011) 5539-2200 / 5572-7900
Informações: 2ª a sábado, das 16:00 às 22:00 horas.
E-mail: toni@lasvegasclub.com.br

. FETICHE BRASIL
End. Rua Maximiliano Alves Cunha, nº 90, Jundiaí - Anápolis - Goiás
CEP 75110-480
Tel. (0 XX 62) - 311-4409
E-mails.
Geral - Fetiche@fetichebrasil.com.br
Comercial - comercial@fetichebrasil.com.br
Administração - Adm@fetichebrasil.com.br

. ALLIANCE FILMES
End. Rua São Dionisio,.105, Penha, Rio de Janeiro - RJ
Fone: (0_21) 280-2585
Produtos: Distribuidora de Filmes Eróticos; Sex Shop

. DARME SEX SHOP COMERCIAL LTDA
End.: Av Ipiranga, 818, Conj 21, Centro, São Paulo - SP
CEP 01040000
Fone: (0_11) 221-4536 Fax: (0_11) 223-7076
Produtos: Produtos para Sex Shop

EMPRESA DO RAMO

. THE DREAMS
Av. Oceanica, nº 300, Pier Sul, Lojas 06 – Salvador – Bahia
CEP 40170-010
Telefax.: (55 071) 247-4122

BIBLIOGRAFIA
- Pesquisas Tips - Sebrae - Pequenas Empresas, Grandes Negócios - IPT - Tudo (Folha de S.Paulo) - Negócios (O Estado de S. Paulo) - Empreendedor - Exame SP - Exame - Tudo - Estado de Minas - Marketeer - Google - Wikipédia - Ministério do Trabalho e Desenvolvimento
Esse arquivo foi gentilmente enviado por usuários do Emprega Brasil. Caso tenha arquivos que contribuam com a empregabilidade ou rentabilidade, nos envie através do e-mail: arquivos@empregabrasil.org.br




Emprega Brasil | © 2013 Todos direitos reservados. Brasil